fbpx
BrasilCovid-19Principais Destaques

ÁUDIO: Carlos Lula alerta: ‘Teremos seis semanas muito difíceis’

Carlos Lula, do conselho de secretários estaduais de Saúde, diz que há uma preocupação com a demora na expansão de leitos para a Covid-19 e que o Ministério da Saúde precisa prover insumos aos estados, como kit intubação, monitor e bomba de infusão.

O presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass) e secretário de Saúde do Maranhão, Carlos Lula, afirmou nesta quarta-feira (17), que prevê forte pressão sobre o sistema de saúde do país nas próximas seis semanas, devido ao aumento do número de internações por Covid-19.

CONFIRA TAMBÉM NA MATÉRIA EM ÁUDIO COM A REPÓRTER TERESA CRISTINA:

Na terça (16), o Brasil registrou novo recorde de mortes por coronavírus: 2.798, segundo dados do consórcio de imprensa. UTIs estão lotadas em 24 estados e no Distrito Federal.

Carlos Lula explicou que a situação crítica nos hospitais do país pode se estender por todo o mês de março até as duas primeiras semanas de abril. Ele alerta que já há registro de mortes de pacientes com Covid-19, em filas de espera por leitos no sistema de saúde do país, principalmente na região Sudeste.

Com o nível de ocupação dos leitos, que nós estamos tendo no atual momento, a gente começa a perder pacientes na fila. Isso tem acontecido, sobretudo, no sudeste do país, que são os maiores sistemas de saúde do Brasil. Essa situação ainda deve se agravar. A gente continua com o sistemas lotados, com a fila muito grande, eu acredito que nós teremos seis semanas muito difíceis, até meados de abril”, disse.

Para o presidente, a expectativa é que as internações e mortes por Covid-19 comecem a cair a partir do mês de maio, com o início da vacinação do público acima de 60 anos. Segundo Lula, esta é a faixa-etária da população que mais se interna, por conta de complicações causadas pelo novo coronavírus.

A partir de maio eu acho que o número de óbitos vai cair consideravelmente. Porque a gente vai atingir um público para vacinar, que é o público que mais se interna, a população acima de 60 anos. Então, eu acredito, que até o final do mês de abril a gente vacine todo mundo nesse público ou acima disso, o número de internações de óbitos e internações deve cair”, completou.

Com informações do G1

Deixe Aqui Seu Comentário
Minuto SEBRAE - MA
Etiquetas
Ler Mais

RELACIONADAS

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios