MaranhãoPrincipais Destaques

Apenas 50% do público-alvo foi vacinado contra sarampo e poliomielite no Maranhão

Campanha busca evitar o reaparecimento das doenças no estado.

Mesmo após o Dia D, o Maranhão apresenta baixo índice de vacinação do público-alvo da campanha contra a poliomielite e o sarampo. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), já foram aplicadas 254.131 doses de vacinas contra poliomielite, o que equivale a 50,92% da população que faz parte da cobertura.

Em relação à vacinação contra o sarampo, a SES comunicou que 251.833 doses de vacinas foram aplicadas, o que representa cerca de 50,46% da população que integra a cobertura.

Em São Luís, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (Semus), foram 32.972 doses da vacina aplicadas contra a poliomielite, o que corresponde a 53,9% da meta. Contra o sarampo foram 32.859 vacinações, atingindo 53,8% do objetivo da campanha.

Na capital, a expectativa é vacinar mais de 602 mil crianças de um a menos de cinco anos. A Secretaria Municipal de Saúde disponibiliza 63 postos atendendo de segunda à sexta, das 8h às 17h. A campanha que segue até o dia 31 de agosto.

Segundo a Coordenação de Imunização de São Luís, o Maranhão não registra casos de nenhuma das duas doenças há mais de 30 anos, mas é importante ter cuidado porque áreas próximas ao estado, como Roraima e Amazonas, já confirmaram mortes por sarampo.

Sarampo e poliomielite
O sarampo, doença altamente contagiosa, pode ser transmitido pelo contato com secreções. Os primeiros sintomas são parecidos com os da gripe, mas evoluem ainda para o aparecimento de manchas vermelhas pelo corpo.

Já a poliomielite ou paralisia infantil causa paralisia repentina e pode afetar desde só as pernas, até o corpo inteiro, comprometendo até a respiração. A contaminação se dá por contato fecal-oral, por objetos, alimentos e água contaminados com fezes de portadores, ou ao falar, tossir ou espirrar.

Deixe Aqui Seu Comentário
Tags
Ler Mais

RELACIONADAS

Close
Close