Banco Central adia a terceira fase do Open Banking

A terceira fase do Open Banking permitiria que usuários do PIX realizassem transações por aplicativos que não sejam o do banco onde sua chave foi cadastrada.

O Banco Central do Brasil (BC) anunciou, por meio de nota, o adiamento da terceira fase do Open Banking. A fase três, que previa a “implementação do compartilhamento do serviço de iniciação de transação de pagamento PIX”, devia começar nesta segunda-feira (30), mas foi adiada para 29 de outubro.

A mudança foi feita para atender pedidos da “estrutura responsável pela governança da implementação” do Open Banking, também conhecido como Sistema Financeiro Aberto.

Em nota, o órgão monetário afirmou que recebeu um pedido para ajustes nas especificações técnicas, o que comprometeu o prazo para realização de testes que comprovariam a certificação das instituições financeiras.

A primeira fase do Open Baking teve início em fevereiro, onde foram fornecidas as condições necessárias para que o mercado criasse modelos de negócios e serviços que facilitem aos clientes comparar diferentes produtos e serviços financeiros disponíveis para contratação.

Na segunda fase do projeto, as instituições participantes passaram a compartilhar informações de cadastro de clientes e de representantes, bem como de dados de transações de clientes acerca dos produtos e serviços relacionados na fase 1.

A terceira fase do Open Banking, que foi atrasada em 30 dias, permitiria que usuários do PIX realizassem transações por aplicativos que não sejam o do banco onde sua chave foi cadastrada. No entanto, o processo deveria ser previamente autorizado pelos clientes.

O Banco Central não informou se a última fase de implementação do Open Banking sofrerá adiamento.

A fase 4 está prevista para o dia 15 de dezembro e será responsável pela expansão do escopo de dados para abranger, entre outros, operações de câmbio, investimentos, seguros e previdência complementar aberta, tanto no que diz respeito a dados acessíveis ao público quanto a dados de transações compartilhados entre instituições participantes.

“O Banco Central reforça o seu compromisso para que o Open Banking alcance os seus objetivos, de forma segura e efetiva para os clientes das instituições participantes, permanecendo vigilante no processo de sua implementação”, afirmou o BC em comunicado oficial.