Brasil indica “Marte Um” para concorrer ao Oscar 2023

Filme do cineasta mineiro Gabriel Martins, que mostra um menino que quer ser astrofísico, entra na disputa por uma vaga ao prêmio de melhor filme internacional.

Após ganhar quatro prêmios durante o Festival de Cinema de Gramado, em agosto, “Marte Um” foi escolhido para representar o Brasil no Oscar 2023. O longa, do mineiro Gabriel Martins, entra na disputa por uma vaga ao prêmio de melhor filme internacional.

A decisão foi divulgada nesta segunda-feira (5), pela Academia Brasileira de Cinema e Artes Audiovisuais.

Na última semana, a instituição havia anunciado os longas-metragens pré-selecionados, entre eles estavam “A Mãe”, de Cristiano Burlan, “A Viagem de Pedro”, de Laís Bodanzky, “Carvão”, de Carolina Markowicz, “Pacificado”, de Paxton Winters, e “Paloma”, de Marcelo Gomes.

“Marte Um” mostra o personagem Deivid, interpretado pelo ator Cícero Lucas, o caçula de uma família de classe média negra que quer ser astrofísico e participar da missão “Marte Um”, que promete colonizar o planeta vermelho em 2030.

A vida de Deivid e de sua família é atravessada pelas tensões e pelos acontecimentos políticos e sociais do Brasil de 2018.

“‘Marte Um’ não é esse filme que vai ficar te apertando o todo para falar de raça, de política, de afirmação. Ele vai te pegar por um outro aspecto, ele vai te pegar através da emoção, para te fazer entender como ter empatia com a situação do outro”, disse o diretor Gabriel Martins, em entrevista à CNN durante o Festival de Gramado.

O longa estreou no Festival de Sundance em janeiro deste ano e, em Gramado, foi exibido no dia 17 de agosto, quando foi aplaudido de pé pelo público.