Construindo um Maranhão de direitos

Vice-Governador do Maranhão e Presidente Estadual do PSDB

 

Enquanto muitos só falam em eleições, nosso caminho continua sendo garantir direitos à nossa gente. Tenho andado pelo Maranhão levando obras e ações de um dos governos que mais executam investimentos públicos no país. Temos uma nação - chamada Maranhão - para governar. Eu e o governador Flávio Dino temos a consciência de que agora é hora de continuar trabalhando para a conclusão de inúmeras obras e, ao mesmo tempo, para implantar ações onde ainda não havíamos chegado. E em cada lugar, uma surpresa boa.

 Esta semana, em Cajapió, na baixada maranhense, ao entregar um sistema de abastecimento de água no bairro São Sebastião, pude ouvir um relato simples, mas alentador. Dona Maria dos Remédios, calejada pelo sofrimento de anos tendo que buscar água à distância para suprir as necessidades de sua família, pegou o microfone e fez questão de agradecer: “A gente sofria todo dia com a falta d’água. Não tinha água nem para lavar roupa e para tomar banho.

 Por isso, eu agradeço demais o governador Flávio Dino, seu Brandão, Marcelo Tavares, o prefeito e os vereadores. Nossa vida vai mudar muito, vocês não sabem o quanto”, falou emocionada.

E é assim mesmo. O sentimento é de uma mudança grande, em todo lugar. No Centro de Ensino Paulo Cordeiro Filho, totalmente reformado, o relato do gestor da escola, Raimundo Nonato, também foi muito impactante:

 “Para mim, é uma honra ser diretor dessa escola em que eu estudei e trabalhei como ajudante de pedreiro. E, pela segunda vez, passo por ela como diretor. É uma honra ter meu nome nessa placa”. Mais do que direitos, isso é resgatar a dignidade das pessoas.

É um processo que está acontecendo em todo o Maranhão. E é isso que me move. É com isso que me preocupo - e me ocupo – agora. Sigam minhas redes sociais e verão o quanto temos sido acolhidos com gratidão e com esperança.

 Gratidão por tudo o que estamos construindo nos últimos anos. Esperança de que o caminho de conquistas continue sendo trilhado. Seja na cidade, seja no campo; seja para o jovem, seja para os mais vividos. E não importa onde.

 Um bom exemplo disso é o Programa de Compras da Agricultura Familiar (Procaf), que beneficia povos indígenas e associações quilombolas, que já está beneficiando 23 associações quilombolas em 11 municípios; 02 associações indígenas e 55 famílias indígenas em 03 municípios do Maranhão. 

Quase um milhão de reais que está gerando emprego e renda para os povos e comunidades tradicionais. Iniciativas como a Casa Ninar, a Clínica Sorrir e o Auxílio Cuidar, são outros investimentos que já se tornaram referência. O Cuidar pagará o valor de R$ 500,00 a todas as crianças e adolescentes que perderam seus pais para a pandemia, até que completem 21 anos. A ideia, inclusive, está inspirando até o Consórcio Nordeste a criar o Nordeste Acolher.

Há muito a fazer. Há muito a construir. E como disse o governador Flávio Dino, em um de seus últimos discursos, ele só estará à frente do executivo até início de abril do próximo ano. São apenas oito meses até que ele se afaste para a disputa eleitoral. Por isso, o tempo urge. No Maranhão, todo dia é dia de trabalho árduo.

 As eleições serão em 2022. Até lá, nosso único propósito é trabalhar para que se continue realizando; para que se continue construindo um Maranhão de direitos a todos os maranhenses.