Doria diz que 3ª dose da Coronavac é ‘inutilidade’ e critica governo federal

"Não há nenhuma necessidade de você tomar uma terceira dose da Coronavac, bastam as duas doses, que é o que recomenda a OMS", disse o governador de São Paulo.

O governador de São Paulo, João Doria, acredita que não será necessária a aplicação de uma terceira dose da Coronavac no Brasil. E a afirmação se baseia nas recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), apesar de estudos conduzidos pelo Ministério da Saúde para avaliar a possibilidade de uma dose de reforço nos vacinados.

“Isso é uma inutilidade. Não há nenhuma necessidade de você tomar uma terceira dose da Coronavac, bastam as duas doses, que é o que recomenda a Organização Mundial da Saúde”, disse o governador em entrevista ao portal Metrópoles.

Em sua opinião, a iniciativa do governo federal de avaliar a possibilidade de uma terceira dose da Coronavac é uma tentativa de descreditar a vacina produzida pelo Instituto Butantan no Brasil.

Além disso, o governador também mirou na falta de compromisso do Ministério da Saúde com a entrega de doses de outros imunizantes aos estados, principalmente da Pfizer. Segundo o tucano, a pasta “promete e não cumpre” com a entrega programada, além de acertar um envio específico de doses, mas entrega menos do que o combinado. Isso, aponta, é responsável por frear a vacinação em massa dos brasileiros.

“Há uma desregulação completa entre aquilo que se promete e aquilo que se cumpre. O Ministério da Saúde, infelizmente, não é organizado”, completou.