Em carta, 20 governadores acusam Bolsonaro de mentir sobre ICMS e alta dos combustíveis

O presidente tem responsabilizado os estados pelo reajuste dos combustíveis, mas, a principal razão é o preço do petróleo no mercado internacional

Um grupo de 20 governadores assinou no domingo (19) uma carta em que desmentem os ataques do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de que seriam eles os responsáveis pelo aumento do preço na gasolina nos estados.

“Os governadores dos entes federados brasileiros signatários vêm a público esclarecer que, nos últimos 12 meses, o preço da gasolina registrou um aumento superior a 40%, embora nenhum estado aumentado o ICMS incidente sobre os combustíveis ao longo desse período”, afirmam os governadores na carta.

“Essa é a maior prova de que se trata de um problema nacional, e não somente de uma unidade federativa. Falar a verdade é o primeiro passo para resolver um problema”, criticam.

A carta dos governadores contou com a assinatura de Flávio Dino (PSB-MA), Ronaldo Caiado (DEM-GO), Rui Costa (PT-BA), Cláudio Castro (PL-RJ), Romeu Zema (Novo-MG), Eduardo Leite (PSDB-RS) e Ibaneis Rocha (MDB-DF).

Cobrado pela alta do preço dos combustíveis, o presidente Bolsonaro tem afirmado que a culpa é do ICMS, quando na verdade a principal razão é o preço do petróleo no mercado internacional e o valo do dólar frente ao real.