Explosão fora do aeroporto de Cabul deixa 13 mortos

Número de vítimas foi confirmado à Reuters por autoridade do grupo islâmico; fontes do governo dos EUA falam em ataque suicida

Uma explosão nos arredores do aeroporto de Cabul, no Afeganistão, deixou ao menos 13 mortos, incluindo crianças, e feriu vários guardas do Talibã, afirmou uma autoridade do grupo islâmico à agência Reuters.

Três fontes do governo dos EUA ouvidas pela CNN disseram haver relatos de que soldados norte-americanos foram feridos na explosão, ocorrida em um dos portões de acesso ao aeroporto, que parece ter sido um ataque suicida.

A explosão, inicialmente, foi confirmada pelo governo dos Estados Unidos sem precisar se havia vítimas ou feridos em meio ao grande esforço internacional para a retirada de pessoas da capital afegã.

“Podemos confirmar uma explosão fora do aeroporto de Cabul. O número de vítimas não está claro neste momento. Forneceremos detalhes adicionais quando pudermos”, informou, no Twitter, o secretário de Imprensa do Pentágono, John Kirby.

Depois, em uma segunda mensagem na rede social, Kirby afirmou que uma segunda explosão foi registrada no Baron Hotel ou próximo a ele – um complexo que fica perto do aeroporto.

“Podemos confirmar que a explosão no Abbey Gate foi o resultado de um ataque complexo que resultou em várias vítimas americanas e civis. Podemos também confirmar pelo menos uma outra explosão no Baron Hotel ou próximo a ele”, escreveu o secretário do Pentágono.

Funcionários da Casa Branca disseram que o presidente dos EUA, Joe Biden, foi informado sobre a explosão na capital afegã. Biden participava de uma reunião com autoridades de segurança sobre a situação no Afeganistão.

Imagens desta quinta, antes da explosão, mostravam centenas de pessoas nos arredores do Aeroporto Internacional Hamid Karzai ainda tentando acessar o complexo para deixar o país.

Funcionários do governo dos EUA e de países aliados informaram nas últimas horas que tinham informações dos serviços de inteligência sobre ameaças de ataques contra o aeroporto da capital afegã.

Com informações da CNN