Instagram lança novo recurso para evitar propagação de ódio na rede social

O foco é proteger criadores de conteúdo e pessoas públicas de assédio, homofobia e sexismo em comentários de publicações e no direct.

Uma atualização do Instagram lançada nesta quarta-feira (11) adicionou uma nova função que permite limitar comentários e solicitações em postagens populares para evitar a propagação de ódio na plataforma. O foco é proteger criadores de conteúdo e pessoas públicas de assédio, homofobia e sexismo em comentários de publicações e no direct.

“Limites permite que você ouça seus seguidores de longa data, enquanto limita o contato de pessoas que podem estar acessando sua conta apenas para atingir você”, disse o chefe do Instagram Adam Mosseri em uma postagem no blog. “Os criadores também nos dizem que não querem desligar os comentários e mensagens completamente; eles ainda querem ouvir a comunidade e construir esses relacionamentos”, completou ainda.

Instagram contra o ódio
O novo recurso Limits permite que os usuários bloqueiem solicitações e comentários no direct de contas que nãos os seguem ou que começaram a seguir recentemente. O modelo contra o ódio do Instagram foi motivado após a Eurocopa, quando alguns jogadores foram vítimas de racismo em suas DMs da rede social após a final.

“Nossa pesquisa mostra que muito da negatividade em relação às figuras públicas vem de pessoas que não as seguem de fato, ou que as seguiram recentemente, e que simplesmente se acumulam no momento. Vimos isso após a recente final do Euro 2020, que resultou em um aumento significativo – e inaceitável – nos abusos racistas contra os jogadores.”, disse Mosseri.

Outra mudança é que o Instagram passa a esconder um comentário assim que a ofensa for detectada pela ferramenta Palavras Ocultas, antes a infração precisava ser repetida para que isso acontecesse. Se uma solicitação conter qualquer palavra de filtro que você escolheu, ela será automaticamente colocada em uma pasta oculta que você pode escolher para nunca abrir.

O Facebook está tentando manter suas plataformas mais seguras para o público adolescente. Recentemente a empresa disse que pretendia criar uma versão do Instagram para menores de 13 anos e legisladores dos EUA pediram que a rede social detalhasse suas políticas para evitar o ódio e a proposta da nova plataforma.