Morre no Maranhão, Manoel da Conceição, um dos fundadores do PT

O líder camponês tinha 86 anos e estava internado há quatro semanas 

Morreu nesta quarta-feira (18), na cidade de Imperatriz, na Região Tocantina, o líder camponês Manoel da Conceição, um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT) e símbolo da resistência contra a Ditadura Militar.

O líder camponês tinha 86 anos e estava internado há quatro semanas no Hospital Regional de Imperatriz, com quadro de broncopneumonia aguda.

O corpo do líder camponês está sendo velado no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Imperatriz, e o enterro está previsto para esta quinta-feira (19).

Liderança camponesa

Manoel da Conceição nasceu em 1935 na região de Coroatá, no Maranhão. Em 1960, o líder camponês organizou, com outros companheiros, dezenas de escolas para alfabetizar camponeses na região de Pindaré-Mirim, depois de frequentar um curso do Movimento de Educação de Base, o MEB, do educador Paulo Freire.

Já no ano de 1963, Manoel fundou e foi eleito presidente do primeiro Sindicato de Trabalhadores Rurais do Maranhão.

Durante a Ditadura Militar no Brasil, Manoel foi exilado em Genebra, na Suíça, onde participou da resistência à ditadura brasileira. O líder camponês também foi um dos primeiros exilados a retornar ao Brasil com a Anistia em 1979.

Em 1980, Manoel participou da criação e da primeira direção nacional do Partido dos Trabalhadores e se tornou o primeiro-secretário nacional agrário do partido. Em 1983, Manoel também ajudou na criação da Central Única dos Trabalhadores (CUT). Depois ele foi o primeiro presidente do PT no Estado de Pernambuco e, após retornar ao Maranhão, disputou o Senado pelo PT em 1986, mas não foi eleito.

Notas de pesar

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, emitiram nota de pesar pela morte de Manoel da Conceição.

O PT também publicou, em sua página internet, uma nota de pesar.

"A classe trabalhadora do campo e da cidade perdeu um de seus maiores heróis: Manoel da Conceição, líder camponês histórico, preso, mutilado, torturado e exilado pela ditadura, fundador do PT e da CUT, faleceu hoje aos 86 anos de idade, no Maranhão, onde iniciou sua luta nos anos 1960... Manoel da Conceição nunca deixou de lutar pela democracia e pelos direitos dos trabalhadores no Maranhão e no Brasil. Nos últimos anos, lutou pela criação da Reserva Extrativista do Ciríaco e da Rede Frutos do Cerrado. Estimulou a organização dos pequenos produtores e de cooperativas de agricultura saudável, sendo um dos criadores da União Nacional de Cooperativas da Agricultura Familiar de Economia Solidária", diz um trecho da nota.

O partido também destacou que Manoel da Conceição foi testemunha do processo histórico de resistência no Brasil.

"O Partido dos Trabalhadores presta sua homenagem a um companheiro que foi líder e testemunha, sempre no campo da luta, do processo histórico de resistência e transformação política e social do Brasil. Sua vida e seu exemplo nos dão força para seguir em frente, sem perder jamais a esperança num tempo de justiça, quando todos poderão colher os frutos do que Manoel plantou ao longo da vida. Manoel da Conceição, presente no coração dos trabalhadores do campo e da cidade".

O governo do Maranhão também emitiu nota de pesar pela morte do líder camponês, destacando que Manoel foi um dos maiores articuladores da luta camponesa em resistência ao regime militar no Brasil.

"Manoel Conceição Santos foi um dos maiores articuladores da luta camponesa em resistência ao regime militar no país. Começou organizando o sindicato de trabalhadores rurais no Vale do Pindaré, posteriormente contribuiu na organização de entidades importantes no cenário nacional como a Central Única dos Trabalhadores (CUT), o Partido dos Trabalhadores (PT) e o Centro de Educação e Cultura do Trabalhador Rural (CENTRU). Neste momento de dor, o Governo do Maranhão se solidariza com os familiares, amigos e admiradores", diz um trecho da nota do governo.

A Assembleia Legislativa do Maranhão também manifestou pesar. Por meio de nota, a Alema afirmou que Manoel da Conceição foi um atuante defensor dos trabalhadores do campo.

"Manoel da Conceição foi um atuante defensor dos trabalhadores do campo e fez parte da história de resistência do país, na luta contra o regime militar, além de contribuir na organização de entidades importantes, como a Central Única dos Trabalhadores (CUT). Neste momento de dor, decretamos luto oficial de três dias na Assembleia e prestamos condolências aos familiares, amigos e admiradores de Manoel da Conceição, rendendo nossas homenagens à sua trajetória de luta e resistência, que não deve ser esquecida", diz a nota.