Tenhamos fé e compartilhemos o bem

Por Carlos Brandão

Sabe aqueles dias em que você acorda e diz “Hoje quero fazer diferente”?. Ligando o computador para começar a escrever o artigo semanal, depois de horas tomadas por muito trabalho, pensei exatamente isso. Então, paro e reflito sobre um fim de semana com um significado único para mim. Sou um homem que aprendeu a respeitar todos os credos, todas as religiões, todos os dogmas defendidos. Mas sou um católico convicto. Um cristão praticante que carrega uma oração com muito fervor: “Creio em Deus Pai Todo-Poderoso, Criador do céu e da terra; e em Jesus Cristo, Seu único Filho, nosso Senhor...”. Uma oração que resume minha crença de forma direta e que expressa toda a minha fé.

Difícil negar que habitamos um mundo preso à importância dada a bens materiais, muito mais do que à solidariedade. Diante disso, penso que nós precisamos evoluir a partir do entendimento do que foi a vinda de Jesus Cristo, Filho de Deus. O Senhor ressuscitou nos mostrando um caminho de esperança. Fazendo-nos entender o significado de ressurgir, de acreditar. Ele nos ensina que Deus vive. Para isso, porém, sofreu, foi humilhado, torturado e subiu aos Céus em uma prova imensurável do amor de Deus pela humanidade.

Dias assim, como na Semana Santa, tomo para uma reflexão profunda, feita em família. Então, resolvi utilizar este espaço para não deixar que as pessoas esqueçam o quanto o amor de Jesus é necessário nesse momento. 

Vivemos dias que acreditamos ser de pós-pandemia, com efeitos dolorosos. Muitos perderam entes queridos; outros lutam pela sobrevivência em economias que se esfacelaram. Enfrentamos uma guerra, que não está distante de nós como muitos pensam. Por isso, precisamos de todos unidos na crença da Ressurreição, que abre nossos horizontes para o começo de uma nova vida. Hoje, em busca da paz, talvez essa seja a maior lição que devemos tirar para esse tempo. 

Meu desejo é o de que a celebração do Domingo de Páscoa nos lance uma luz capaz de guiar nossos caminhos em busca do bem-estar comum, baseado no respeito e na cumplicidade de ações positivas. A doação maior, feita por Ele, é a prova de que o Seu amor por nós é além da compreensão: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”(João 3, 16). E, para mim, Jesus veio ao mundo muito mais do que para nos livrar de nossos pecados. Ele veio para nos salvar, nos transformar, ensinar caminhos e ser a prova viva do amor de Deus por todos nós.

Nesta nova missão em minha vida, agradeço muito por estar à frente dos destinos do Estado. Mas também peço, principalmente, discernimento e clareza sobre os enfrentamentos. Para que eu possa, junto com nossa equipe, fazer o melhor pelos maranhenses. Que o amor de Cristo siga nos unindo. Tenhamos fé e compartilhemos o bem.

Feliz Páscoa!