Uma guerra que não terá vencedores

Artigo escrito por José Reinaldo

Você já pensou como seria morar num país em que um ditador, disfarçado de presidente, luta para voltar a um passado que ninguém quer? E que, para isso, obcecado, iniciou, sem motivo algum, uma guerra contra um país desarmado simplesmente porque há alguns anos o povo desse país escolheu, em plebiscito, com maioria de mais de 80% da população, que não queria se unir como no passado, à Rússia? Uma população que quer é fazer parte da União Europeia, formada por países livres e amparados uns pelos outros.

Esse mesmo presidente tentou criar a versão mentirosa de que este país, valente e desarmado, estava tentando atacá-lo. Com o quê mesmo? E ficou juntando um poderoso exército, dotado de mísseis, tanques, helicópteros, carros de combate e armamento pesado, com quase 200 mil soldados, fortemente armados na fronteira ucraniana e, mentindo, tentava justificar dizendo que era apenas um treinamento de rotina. O presidente dos Estados Unidos, muito bem informado, acusava-o de mentir, e ele manteve a mentira até quando os tanques já estavam invadindo a Ucrânia. O povo russo ficou contra, as famílias dos dois países se misturam, pois 30% da população russa é formada por ucranianos. E começaram os protestos na própria Rússia. Putin proibiu que a imprensa falasse em guerra. Só podia falar que era uma operação militar especial. Isso dava cadeia e tem milhares presos. Se um jornalista falasse ou escrevesse alguma coisa que Putin não gostasse, classificava como Fake News. Foi aprovada uma lei determinando que, a critério de Putin, fake news dá condenação de 15 anos nas prisões russas. Os jornalistas fugiram todos.

Hoje, o povo russo está sentindo na pele a consequência do ato de guerra. A inflação de 2% foi a 20%, logo nas primeiras horas em que o ocidente aplicou duríssimas sanções econômicas contra o governo russo e a empresários de qualquer nacionalidade, russos ou não, que fizerem negócio com aquele país.

Os empresários fecharam suas fábricas na Rússia às carreiras, abandonaram seus investimentos e não compraram produtos do país, os recursos russos foram congelados e os magnatas russos estão perdendo seus bens no exterior, vendo iates e aviões de luxo sendo confiscados. Na Rússia, a população correu para os caixas eletrônicos, em busca da moeda forte que o país não tem, fazendo fila para tentar trocar seus rublos. O mesmo aconteceu em lojas que têm um resto de produtos importados de grande qualidade. O espaço aéreo do mundo ocidental foi fechado para aviões russos. E as companhias de aviação da Rússia cancelaram todos os voos para o exterior.

A Rússia ganhará a guerra. Mais de um milhão de ucranianos fugiram do país. Mas será a vitória de um perdedor, pois será um país falido anexando um país falido e destruído.

As consequências para o Brasil serão muito ruins. O petróleo subiu muito e já está a quase 120 dólares por barril. Os alimentos ficarão muito mais caros, pois o fertilizante subirá muito de preço já que ninguém comprará. Navio nenhum irá buscar fertilizantes na Rússia. O trigo russo não virá e o pãozinho será mais caro.

Daí, ninguém entendeu porque o presidente do Brasil, em visita a Rússia, prestou solidariedade a Putin. Por que será?