PolicialPrincipais Destaques

Polícia conclui investigação e diz que enfermeira esperou momento para atropelar cães em São Luís

Com o fim das investigações foi concluído um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), que será encaminhado nesta sexta-feira (23) à justiça.

Reportagem em áudio de @BeatrizMarks – Faça o Download!

A Delegacia do Meio Ambiente concluiu as investigações do atropelamento dos cachorros Peppe e Dukesa no dia 14 de agosto, em São Luís. A motorista que aparece em um vídeo no momento do atropelamento é a enfermeira da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH) Ana Giselly Atan, que foi afastada do cargo.

Nove pessoas foram ouvidas, entre vizinhos, um taxista e os donos dos cachorros. Segundo a delegada Caroliny Fernanda, foi confirmada a versão de testemunhas de que os pastores alemães atacaram um outro cachorro momentos antes do atropelamento e que a enfermeira ajudou a evitar o ataque.

“Há inclusive imagens desse momento. Os pastores alemães atacaram um cachorro viralata que estava passeando junto com a cuidadora. Ela pediu socorro. Um taxista saiu para pedir ajuda. Coincidentemente, a Giselly presenciou o ataque e agiu no sentido de afastar os pastores alemães do cachorro que estava sendo atacado”, afirmou a delegada.

Após ter evitado o ataque dos pastores alemães, a enfermeira continuou seguindo Peppe e Dukesa com o carro. É nesse momento que Giselly aparece com o carro em baixa velocidade em uma rua do bairro Residencial Pinheiros e atropela os dois cachorros.

Apesar de ter evitado um ataque momentos antes, a delegada Caroliny informou que não houve indício de que a enfermeira agiu em legítima defesa no momento em que ela acelera o carro sobre os cães. Por conta do ato, Giselly Atan pode responder pelo crime de maus-tratos a animais.

“Em momento algum há indício de que ela agiu em legítima defesa. Os animais no momento não estavam apresentando risco para ninguém e aí ela atropelou. Mas mesmo que na rua tivessem crianças, ainda não justificaria”

“É um crime que tem pena inferior a dois anos. Ela vai passar por uma audiência preliminar com juiz e promotor, onde pode ser oferecido uma pena restritiva de direito, diferente da prisão. Mas tudo vai depender mesmo da decisão da justiça agora”, declarou a delegada do Meio Ambiente.

Com o fim das investigações foi concluído um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), que será encaminhado nesta sexta-feira (23) à justiça. A audiência do caso está marcada para outubro.

Dukesa (à esquerda) não resistiu aos ferimentos e Peppe (à direita) (Foto: Reprodução/ Arquivo Pessoal )

Entenda o caso

Imagens de câmera de segurança mostram o momento em que a enfermeira Ana Giselly Atan atropela dois cachorros da raça pastor alemão. A cachorra chama Dukesa morreu e Peppe sobreviveu.

O caso foi registrado na terça-feira (14), mas só na quinta-feira (16) o vídeo viralizou nas redes sociais e causou revolta nos internautas. As cantoras Anitta e Preta Gil, o humorista Marcelo Adnet e a atriz Giovanna Ewbank foram alguns dos artistas que se manifestaram sobre o atropelamento dos dois cachorros.

“Como é que essa pessoa consegue dormir depois?”, comentou o padre Fábio de Melo.

Deixe Aqui Seu Comentário
Tags
Ler Mais

RELACIONADAS

Close
Close