WeCreativez WhatsApp Support
O MAIOR PORTAL DE NOTICIAS DO MARANHÃO
ᴄᴇɴᴛʀᴀʟᴅᴇɴᴏᴛɪᴄɪᴀꜱ.ʀᴀᴅɪᴏ.ʙʀ
O FIM DAS DORES - Magnésio Dimalato Magnésio Dimalato
MaranhãoPrincipais Destaques

Redução de recursos federais causa corte de 27 bolsas de pós-graduação na UFMA

Estudantes de todo o país protestaram nessa quarta-feira (15) contra o corte de verbas na educação anunciado pelo governo federal.

Com o congelamento de recursos federais para a educação, a pró-reitoria de ensino e pós-graduação da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) anunciou o corte de 21 bolsas de mestrados e 6 de doutorado. O investimento era de R$ 44 mil por mês.

A redução da verba para instituições federais também afeta a infraestrutura da universidade, como a manutenção dos laboratórios. No laboratório de física experimental da UFMA, por exemplo, são desenvolvidas pesquisas de mestrado e doutorado sobre propriedades das células cancerígenas e diagnóstico precoce de câncer.

Os resultados das pesquisas são usados na busca por aumentar as chances de vida de pessoas que sofrem com a doença. O problema é que muitas pesquisas exigem dedicação exclusiva e o corte de recursos ameaça a continuidade dos estudos.

Na área da saúde, 42 professores trabalham em projetos em diversas linhas de pesquisa dos programas de pós-graduação da UFMA. Neste ano, 25 estudantes ingressaram no mestrado, 18 concorreram a bolsa, mas o programa só pôde atender 5 alunos.

Além da UFMA, o Instituto Federal do Maranhão (IFMA) anunciou o corte de 38% no orçamento previsto para 2019. O percentual representa aproximadamente R$ 28 milhões a menos no orçamento do instituto.

Protesto

Nessa quarta-feira (15) milhares de estudantes e professores se reuniram em um protesto contra o contigenciamento de recursos para instituições de ensino federais anunciado pelo Ministério da Educação. O ato aconteceu em todo o país. Em São Luis, o ato teve início às 15h na Praça Deodoro. Os manifestantes caminharam pela Praça Maria Aragão e chegaram na Praça dos Catraieiros, onde se concentraram até as 18h.

Foto: Reprodução/WhatsApp
Foto: Reprodução/WhatsApp

Contingenciamento de recursos para a educação
Em abril, o Ministério da Educação divulgou que todas as universidades e institutos federais teriam bloqueio de recursos. Em maio, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) informou sobre a suspensão da concessão de bolsas de mestrado e doutorado.

De acordo com o Ministério da Educação, o bloqueio é de 24,84% das chamadas despesas discricionárias — aquelas consideradas não obrigatórias, que incluem gastos como contas de água, luz, compra de material básico, contratação de terceirizados e realização de pesquisas. O valor total contingenciado, considerando todas as universidades, é de R$ 1,7 bilhão, ou 3,43% do orçamento completo — incluindo despesas obrigatórias.

Em 2019, as verbas discricionárias representam 13,83% do orçamento total das universidades. Os 86,17% restantes são as chamadas verbas obrigatórias, que não deverão ser afetadas. Elas correspondem, por exemplo, aos pagamentos de salários de professores, funcionários e das aposentadorias e pensões.

Segundo o governo federal, a queda na arrecadação obrigou a contenção de recursos. O bloqueio poderá ser reavaliado posteriormente caso a arrecadação volte a subir. O contigenciamento, apenas com despesas não obrigatórias, é um mecanismo para retardar ou deixar de executar parte da peça orçamentária devido à insuficiência de receitas e já ocorreu em outros governos.

Com informações do G1/MA

Deixe Aqui Seu Comentário
Rei dos Reis - Cortina
Tags
Ler Mais

RELACIONADAS

Close
Close

Adblock Detected

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios